c/Bilbao 212-214 08018, Barcelona -- 93 498 27 28 -- 609 32 77 56 -- colla@castellersdebarcelona.cat
Escut dels Castellers de BarcelonaCastellers de Barcelona
 Món Casteller » Introducció »
3d9f 03/11/02
dldmdcdjdvdsdg
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31
Actuacions Assajos Activitats
Més d'un tipus d'event

Entitats que col·laboren amb nosaltres
O que são castells?

primer concurs de castells, Barcelona 1902 (arxiu Salvador Arroyo)Os “castells” – palavra catalã que significa castelos – são uma manifestação cultural própria da Catalunha que consiste em levantar construções humanas. As origens desta tradição remontam ao final do século XVIII em Valls, quando os grupos chamados “colles” começaram a rivalizar na construção de diferentes tipos de estruturas humanas, como as que hoje conhecemos.
Um “castell” está formado por três partes distintas: a "pinya" (pinha); o "tronc" (tronco); e o "pom de dalt" (pomo do topo).
A “pinya” é a base da construção sobre a qual repousa todo o seu peso e que tem por objectivo amortizar o golpe em caso de queda, além de estabilizar e suportar a estrutura que se eleva.
A estrutura vertical, o “tronc”, é composta por um número concreto de pessoas em cada piso que varia em função do “castell” (entre 1 e 9 pessoas), dando-lhe assim o seu nome.
No ponto mais alto está a “canalla” (canalha), palavra que significa crianças, formando o “pom de dalt”, uma vez que são elas, com a sua agilidade e leveza, quem trepam até ao cimo do “castell”. Nos “castells” de maior envergadura podem somar-se uma ou duas bases de suporte sobre a “pinya”. Estas denominam-se “foldre” ou “manilla” em função da sua situação no segundo ou terceiro nível respectivamente. Cada indivíduo que participa na construção do “castell” recebe o nome de “casteller”.

Os “castells” levantam-se segundo uma técnica precisa que varia em função da sua estrutura. Por norma começa-se montando a “pinya” com uma ordem precisa, cada um na sua posição e com uma função determinada. A continuação, sobem por turnos os diferentes pisos da construção, situando-se os mais fortes nos pisos inferiores e os mais ágeis e leves nos pisos superiores. O último a subir é o “anxaneta”, um miúdo ou miúda que ao chegar ao ponto mais alto levanta o braço para cumprimentar o público...Nesse momento de máxima emoção considera-se o “castell” coroado, ainda que cabe desmontar toda a estrutura sem cair. Realmente a tarefa está a meias. Com alguns “castells” mais singulares ou complexos a execução pode variar consideravelmente, tratando-se de construções compostas tanto a nível de “pinya” com os seus “foldres” e “manillas”, como de “tronc”, incluso podem levantar-se em sentido inverso, ou seja, montando a pulso a estrutura.

A construção de cada “castell” vai acompanhada de uma melodia que indica a evolução da construção: o "toc de castells" (“toque de castells”). A “gralla” (instrumento de sopro tradicional) e o timbale são os instrumentos que tradicionalmente acompanham os “castells” e constituem um elemento inseparável da sua festa e emoções. O princípio e o final de cada actuação também têm a suas melodias próprias, o "toc d'entrada a la plaça" (“toque de entrada na praça”) e o "toc de vermut" (“toque de vermut”), que convidam o público a assistir ao acontecimento e a almoçar uma vez terminado.

Assim é porque tradicionalmente as actuações de “castells” levavam-se a cabo ao meio-dia de domingo na “Plaça de l’Ajuntament” (Praça da Câmara Municipal) de cada cidade, como um dos principais actos de “Festa Major” (festas da cidade). Nesse dia, três “collas” ou “cuadrillas”, costumam reunir-se e levantar três “castells”, cada uma, e um último “pilar” (“castell” de estrutura de 1) de despedida. Hoje são muitos os dias em que se pode contemplar “castells” ao longo do ano, apesar de que a temporada começa com força em Junho e declina a partir de meados de Novembro. As datas mais assinaladas do calendário são as seguintes:

- 15 de Agosto: Mare de Déu d'agost, na Bisbal del Penedès;
- 30 de Agosto: Sant Fèlix, em Vilafranca del Penedès;
- 24 de Setembro: Mare de Déu de la Mercè, em Barcelona (a actuação celebra-se no domingo mais próximo);
- primeiro domingo de Outubro de anos pares: Concurso de "castells", em Tarragona;
- 22 de Outubro: Santa Úrsula, em Valls (a actuação celebra-se no domingo seguinte);
- 1 de Novembro: Tots Sants, em Vilafranca del Penedès;
- terceiro domingo de Novembro: Diada dels Minyons de Terrassa, em Terrassa.

¡Vem à Catalunha para vêr-los em directo...vale a pena!

Sant Fèlix: 3 de 10 amb folre i manilles, Castellers de Vilafrancala Mercè: 4 de 9 amb folre, Castellers de BarcelonaDiada dels Minyons de Terrassa:  3 de 10 amb folre i manilles, Minyons de Terrassa

Os Castellers de Barcelona

Inauguració del Monument als castells: Pilar de 4, Castellers de BarcelonaOs Castellers de Barcelona nascem em 1969 pela mão de pessoas procedentes de zonas onde se tinha desenvolvido o fenómeno dos “castells”, a maioria de Vilafranca del Penedès (a 50km. de Barcelona).
A cidade de Barcelona já tinha tido outras experiências de “castells” ao longo do século XIX, mas não tiveram êxito devido à dificuldade para sedimentar esta tradição numa cidade tão grande e longe da sua área tradicional (comarcas de Camp de Tarragona e Penedès).
Não obstante, com a criação dos Castellers de Barcelona instituiu-se na capital catalã um grupo consolidado e arreigado na sociedade. Desde o momento da sua formação até hoje, a “colla castellera” da cidade continua praticando o seu folclore em festas, inaugurações, congressos e actos diversos.
Naquele 8 de Junho de 1969, data em que se apresenta a “colla”, fez-se uma breve actuação, um pilar de 4 (“castell” de uma pessoa por piso e 4 pisos), na inauguração do Monumento aos Castells que existe na povoação de El Vendrell (a 60km. de Barcelona). Estavam presentes grandes “collas” que desde a sua fundação/reorganização seguem em activo, como os Nens del Vendrell (1926), la Colla Vella dels Xiquets de Valls (1946) ou os Castellers de Vilafranca (1948). Tendo em conta a data de criação dos Castellers de Barcelona, estes são hoje a quarta “colla” mais antiga.
la Mercè: 2 de 8 amb folre, Castellers de BarcelonaAinda que o início não tenho sido fácil, com o esforço para integrar o “fet casteller” na cidade (expressão que poderíamos traduzir por o acto e pelo ambiente dos “castells”), pouco a pouco, a “colla” foi progredindo, realizando mais e melhores construções. Assim, a princípios dos anos 70, conseguem com regularidade os “castells” de 7 pisos, a princípios dos 80 “castells” de 8 pisos e, já a finais dos 90, as difíceis estruturas de 9 pisos que situam aos Castellers de Barcelona entre as “collas” de maior nível (qualificação do nível de 9 pisos estabelecida pela Coordinadora de Colles Castelleres de Catalunya, a instituição que acolhe às cerca de 60 grupos existentes actualmente).
Trata-se de um caminho progressivo, não isento de dificuldades, como quando foi necessário procurar um local fixo para os treinos (desde 1984 na c/Rossend Nobas, 33, de Barcelona), ou quando houve que superar a partida de diferentes “castellers”, oriundos de Santa Coloma de Gramanet (ao norte de Barcelona) que fundariam a “colla” da sua localidade (1985). Por isso e desde então, os Castellers de Barcelona puseram mãos à obra para recuperar a consolidação técnica (nível dos “castells”) e institucional (relação com entidades).


Diada dels Minyons de Terrassa: 4 de 9 amb folre carregat, Castellers de BarcelonaTecnicamente pode dizer-se que já nos anos 80-90 os Castellers de Barcelona se moviam entre os “castells” de 8 pisos, mas é em 1995 que se dá o salto qualitativo, já que a “colla” propõe uma estrutura com “folre” (forro ou conjunto de “castellers” em cima da “pinya” que reforçam o segundo piso): trata-se do 2 de 8 com “folre”, um “castell” de 8 pisos mas com alguma instabilidade, que tenta salvar-se com a ajuda do “folre”. Nesse ano conseguem completar esta construção na Festa Major da cidade, La Mercè (24 de Setembro), na Plaça de Sant Jaume.
Assim se abre a porta a “castells” superiores: não tardam em centrar-se na ideia do primeiro “castell” de 9 pisos, um novo avance técnico ao que só chegaram uma dezena de “colles”. Esta estrutura chegaria a 22 de Novembro de 1998 em Terrassa,(na tradicional Diada de la colla de los "Minyons de Terrassa), quando conseguem carregar o 4 de 9 com “folre”, ante a admiração dos próprios “castellers” e do numeroso público concentrado na Plaça Vella.
Desde então, os Castellers de Barcelona realizaram numerosas construções de nove pisos e contam-se entre os poucos grupos capazes de executar estes “castells” de tão grande dificuldade. Entre as construções mais celebradas há que contar:
O 4 de 9 com folre descarregado por primeira vez nas Fstes de la Mercè de 1999 em Barcelona. Desta maneira, e menos de um ano depois de ter logrado carregar esta construção, os Castellers de Barcelona conseguiram completár-la numa das actuações mais emotivas que se recordam;
O 3 de 9 com folre carregado no ano seguinte (em Novembro de 2000) por primeira vez durante a festa Diada de los Minyons de Terrassa;
O 3 de 9 com folre descarregado por primeira vez nas Festes de la Mercè de 2001, um “castell” que a “colla” repetiria em várias ocasiões, tanto naquele mesmo ano como nos seguintes.
O 5 de 8 descarregado durante as Festes de la Mercè de 2003. Este “castell”, conhecido como a “catedral” pelas suas dimensões, apesar de ser de apenas 8 pisos é considerado de grande dificuldade. A sua construção foi muito celebrada pela “colla”.

la Mercè: 4 de 9 amb folre, Castellers de Barcelonala Mercè: 3 de 9 amb folre, Castellers de Barcelonala Mercè: 5 de 8, Castellers de BarcelonaDiada dels Bordegassos de Vilanova: Pilar de 7 amb folre carregat, Castellers de Barcelona

Contacta connosco

Desde 1969, ano da nossa fundação, os Castellers de Barcelona realizamos numerosas actuações em numerosos lugares da Europa.

Podes entrar em contacto connosco através do correio electrónico colla@castellersdebarcelona.cat, dos telefones 93.498.27.28 (oficina -telef./fax. gravador-) e pelo telemóvel 609.32.77.56.

Também podes passar e ver como treinamos na nossa sede, próximo da paragem de metro de Clot (linhas 1 -vermelha- e 2 - lilás-), regularmente às terças-feiras (19'30h.), quintas-feiras (20'00h.) e sextas-feiras (21'00h.), entre Fevereiro e Novembro (em Agosto normalmente descansamos).

Calendário (català).

Castellers de Barcelona
Carrer Bilbao, 212-214
08018 BARCELONA.


© 2017 Castellers de Barcelona